Exposições

 “Depois do fim, antes do começo”

 

O Instituto PIPA abriu a sua primeira exposição de acervo, “Depois do fim, antes do começo” no dia, 09 de março, na Villa Aymoré. Apresentando obras de sete artistas, a mostra tem como tema deslocamento – que, como escreve Luiz Camillo Osorio no texto introdutório à mostra, hoje não se limitam mais ao espaço, tendo invadido também o tempo e o corpo:

– O nomadismo, as migrações, as indeterminações de gênero, as mutações genéticas, a obsolescência de coisas e pessoas e as afirmações e questionamentos identitários tornaram-se a regra, ou seja, deslocamentos, intencionais ou forçados – escreve o curador do Instituto PIPA. – Os artistas que aqui mostramos nessa primeira exposição falam à sua maneira disso tudo.

Os artistas em questão são Berna RealeCaduLuciana MagnoPaulo Nimer PjotaRodrigo Braga Paulo Nazareth exibindo trabalhos em vídeo, fotografia, gravura e instalação. Todos velhos conhecidos do Prêmio PIPA: enquanto Berna Reale e Rodrigo Braga foram finalistas e Cadu e Paulo Nazareth, vencedores em 2013 e 2016, respectivamente, Luciana Magno e Paulo Nimer Pjota já ganharam o PIPA Online. A ideia é justamente que Instituto e premiação caminhem lado a lado, com o Instituto comissionando e adquirindo obras de artistas que já participaram do Prêmio PIPA ao longo dos anos. Afinal, os dois partilham o objetivo de promover e incentivar a arte contemporânea brasileira. Nas palavras de Luiz Camillo Osorio:

–  A arte insiste em abrir possibilidades, encarando as ruínas e buscando pensar/saltar além do abismo que está a nossa frente. Esta é a aposta ao formamos essa coleção e incentivarmos a produção contemporânea com o Prêmio e o Instituto PIPA.